crítica ao neoliberalismo

Na contramão dos elogios da grande mídia e de setores da oposição, o senador Roberto Requião disse, nesta quinta-feira (11), no plenário do Senado, que a ex-primeira ministra da Inglaterra, Margareth Thatcher, que morreu no começo da semana, contribuiu não apenas para a destruição das conquistas dos trabalhadores da Grã-Bretanha e sim também para a submissão e o empobrecimento de povos de todo o mundo, à medida da imposição, em todo o planeta, do modelo neo-liberal. Citando o livro “Confissões de um Assassino Econômico”, do ex-operador do mercado John Perkins, o senador disse que a obra poderia ser tomada como a crônica dos efeitos do thatcherismo sobre a economia mundial, especialmente sobre a economia dos países pouco desenvolvidos. Requião lembrou ainda as relações muito próximas de Margareth Thatcher com ditadores terceiro-mundistas, em especial com Pinochet, a quem sempre elogiou. Em contrapartida, afirmou o senador, chamou Nelson Mandela de “terrorista”, apoiando o governo segregacionista da África do Sul.