Como as coisas acontecem? | 20 Coisas vistas em câmera lenta

Todo mundo certamente já viu um copo de vidro se quebrar ao cair no chão, ou a luz forte de um relâmpago durante uma chuva intensa, mas essas coisas acontecem tão rápido que somos incapazes de observá-las com clareza.

Porém, nada melhor do que a tecnologia para nos mostrar os mínimos detalhes do que acontece com tanta frequência que nem prestamos muita atenção. Você provavelmente verá esses acontecimentos de um jeito que nunca havia imaginado!

1.

coisas-camera-lenta-1

2.

coisas-camera-lenta-2

3.

coisas-camera-lenta-3

4.

coisas-camera-lenta-4

5.

coisas-camera-lenta-5

6.

coisas-camera-lenta-6

7.

coisas-camera-lenta-7

8.

coisas-camera-lenta-8

9.

coisas-camera-lenta-9

10.

coisas-camera-lenta-10

11.

coisas-camera-lenta-11

12.

coisas-camera-lenta-12

13.

coisas-camera-lenta-13

14.

coisas-camera-lenta-14

15.

coisas-camera-lenta-15

16.

coisas-camera-lenta-16

17.

coisas-camera-lenta-17

18.

coisas-camera-lenta-18

19.

coisas-camera-lenta-19

20.

coisas-camera-lenta-20

(fonte) epistemologia : episteme

Então? É Ciência ou Não?

Filosofia em Pedacinhos: Então? É Ciência ou Não?

Animação em francês com legendas em português sobre filosofia da ciência produzida pela Universidade de Nancy, juntamente com os Archives Henri Poincaré, para o 14º Congresso Internacional de Lógica, Metodologia e Filosofia das Ciências.

Criados por Philippe Thomine e com animação realizada por Nicolas Mathis, a série de vídeos intitulada “A filosofia em pedacinhos” (La philo en petits morceaux), abordam, em linguagem simples, vários temas de filosofia da ciência e de epistemologia — como mudanças de paradigma, os paradoxos em lógica e em teoria de conjuntos, a filosofia da mente, os problemas da causalidade, etc. Os 6 vídeos originais podem ser assistidos no site do projeto – é possível ativar as legendas ocultas e traduzir pelo recurso do youtube.

Saiba mais aqui.

o que define a humanidade? o que nos permite ser humanos? o que nos diferencia dos outros seres vivos?

O mundo é uma só família – o humano que enxerga as coisas claramente é aquele que se reconhece nos outros.

Não violência é o mesmo que amor universal. Os que confiam nesse tipo de amor, valorizam todos os seres vivos e inanimados, considerando-os como vindos do mesmo Princípio Criador e assim pertencendo a uma só e grande família.
Sem dúvida nenhuma, hoje em dia há uma certa confusão na família humana.
Poucos querem realizar os prórpios deveres e por isso a crise mundial. Nenhum país está pacifico dentro dele ou com os seus vizinhos.
Vamos pensar um pouco: se nós achássemos que o mundo é como uma grande família, é preciso iniciar perguntando a nós mesmos o que não está certo e achar a maneira para que as coisas retornem ao seu funcionamento.
Uma família nunca conseguirá estar em paz, mesmo que seja apenas um dos seus membros que não esteja bem. Todos possuem o seu papel certo na família e o seu lugar, o mesmo acontece no mundo.
Quando cada um cumpre o seu papel, ou seja, sua própria obrigação, todas as coisas entram nos eixos e tudo fica harmonioso.
Porque se não for assim haverá uma grande confussão no ar e nada será cumprido. Nesse caso ela se deteriora e será preciso voltar à ordem com leis e punições. Na natureza as coisas estão todas nos seus lugares, o único que consegue confundir tudo através de comportamentos errados, é o humano. Quando a situação for corrigida tudo voltará como era no início, equilibrado.
Desde crianças, nos colégios, somos ensinados a respeitar a nossa comunidade tanto escolar quanto familiar, nos amando e ajudando mutuamente. Os professores precisam ser capazes de considerar seus alunos como se fossem seus filhos, não demonstrando prefêrencias por nenhum em particular. Os alunos devem sentir um verdadeiro amor e ter muito respeito pelos seus professores, assim esses poderiam se tornar até os mestres das suas vidas.
Se iníciarmos assim, não será difícil, no futuro, entender que o mundo inteiro é uma só e grande família.
Ter certeza de que todos somos irmãos nessa grande comunidade universal, será a forma ideal para vencer as maiores doenças da nossa época: guerras, racismos, egoísmos e idolatria pelo dinheiro.
Os que compreendem que o mundo é uma única família, são os que estão a favor da não violência. Você também pensa assim?

A História do Mundo em Duas Horas

Uma rápida viagem de duas horas, especial inédito do History mostra o que de mais importante aconteceu do surgimento do Universo até os dias atuais.

O Big Bang aconteceu há 13,7 bilhões de anos e essa grande explosão de massa cósmica deu origem ao Universo. Estima-se que a Terra tenha surgido há cerca de 4,6 bilhões de ano e era um ambiente inóspito, mas os primeiros rastros da existência humana datam de 4.000 a.C. É uma história bem longa, mas o History vai contá-la de forma dinâmica, em 120 minutos, no especial “A História do Mundo em Duas Horas”.

O especial, dos mesmos produtores de “O Mundo sem Ninguém”, apresenta um apanhado desde a criação do Universo ao surgimento da vida no planeta, dos progressos atingidos pelo homem desde a Idade a Pedra à atual expansão tecnológica, do aparecimento das primeiras civilizações ao mundo globalizado.

A idéia de “A História do Mundo em Duas Horas” é demonstrar de forma dinâmica como há correlação entre todos os grandes acontecimentos históricos. Não haveria raça humana não fossem os macacos, que por sua vez são não teriam existido sem as bactérias, uma das primeiras formas de vida de que se tem notícia no planeta. Não poderia haver globalização não fossem as viagens marítimas nos idos de 1.500. E não conheceríamos o computador sem a descoberta da eletricidade por Benjamin Franklin em 1752.

Sobre a teoria do Big Bang ou A Grande Explosão

A teoria do Big Bang é de autoria do cientista russo, naturalizado americano, George Gamow, e do padre e astrônomo bela Georges Lamaîtres e estabelece que uma grande explosão cósmica ocorrida há 13.7 bilhões de anos deu origem ao que conhecemos como espaço/tempo. Cerca de 1 bilhão de anos depois do Big Bang os elementos químicos começaram a se unir dando origem às galáxias.A teoria do Big Bang apóia-se na teoria da relatividade de Albert Einstein e nos estudos dos astrônomos Edwin Hubble e Milton Humanson.